CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DO ESPÍRITA: PACIÊNCIA, INDULGENCIA, FÉ, HUMILDADE, DIGNIDADE E CARIDADE.

sexta-feira, 9 de maio de 2014

9ª AULA - CURSO BÁSICO DE ESPIRITISMO 1º ANO - FEESP

PARTE C: RESSURREIÇÃO E REENCARNAÇÃO

"Aquele que não nascer de novo, não pode ver o Reino de Deus" (João, 3: 3).

RESSURREIÇÃO: Ressurreição, em grego Anástasis, significa surgir, levantar, erguer, sair de um local ou de uma situação para outra. Foi traduzida para o latim como "ressurectio", o ato de ressurgir, volta à vida, reanimar-se, uma conotação já não muito fiel ao original. Daí o fato de, biblicamente falando, o termo ressurreição ter sido interpretado em Mateus com o sentido de ressurgir dos mortos (Mt, Cap. 22:28 30, 31). Exceto os saduceus que pensavam que tudo acabava com a morte, a ressurreição fazia parte dos dogmas dos hebreus. ESE, Cap. IV, item 4) e da sua escatologia (ESCATOLOGIA: filosofia que busca explicar o destino último do homem: céu, inferno, ressurreição, juízo final, etc...).

Eles acreditavam que um homem que viveu podia reviver, sem se inteirarem com precisão da maneira pela qual o fato podia ocorrer; designavam pela palavra "ressurreição" o que o Espiritismo, mais judiciosamente, chama "REENCARNAÇÃO". Com efeito, a ressurreição supõe o retorno à vida do corpo que morreu, o que a ciência demonstra ser materialmente impossível, sobretudo quando os elementos desse corpo estão, desde há muito, dispersos e absorvidos (ESE, cap. IV, item 4).

A conotação do termo "ressurreição" aplicava-se e estendia-se a casos como o das duas crianças na época de Elias e Eliseu (I Rs 17:21 a 24; II Rs 4:20 a 32 e 36); o do filho da viúva de Naim, o da filha de Jairo (lc 7:11-15); 8:49-55); o de Lázaro (Jo 11: 1-44) e outros, como II Rs 13:21; At 9:36-42; 20:9-12). Em todos os casos, em que o Mestre atuou ele afirmou, enfaticamente, que essas pessoas não estavam mortas, mas apenas dormiam. Como naquele tempo não se conheciam essas mortes aparentes, causadas pela letargia ou catalepsia, essas pessoas puderam voltar à vida, passando, nesses casos, aos olhos atônitos do povo como autênticas ressurreições.

O mesmo termo foi aplicado para explicar as dez aparições de Jesus em Jerusalém e circunvizinhanças, a partir do terceiro dia (Lc 24: 44-48; Jo 20: 11-23; Jo 21: 15-22 e At 1:3-8) após a crucificação e durante os quarenta dias seguintes, confirmando o que estava previsto pelos profetas nas escrituras do Velho Testamento, conforme segue:

APARIÇÃO DE JESUS:

1 - Às mulheres no caminho de volta da visita ao sepulcro, quando lhes dissera: Não temais, ide dizer a meus irmãos que vão à Galiléia e lá me verão (Mt 28: 9,10);

2 - À Maria Magdalena quando ficou a sós ao retornar ao sepulcro, quando alertou-a: Não me detenhas, porque ainda não subi para o Pai (Jo 20: 11-18);

3 - No mesmo dia a dois discípulos que iam para Emaús, um deles de nome Cleophas (lc 24: 13-25);

4 - Logo em seguida a Simão Pedro (lc 24: 34);

5 - Na tarde do mesmo dia a todos os discípulos, exceto Tomé (Lc 24:36, 43; Jo 20: 19-23);

6 - Oito dias depois, domingo, a todos os discípulos quando Tomé estava presente (Jo 20: 26-29);

7 - A sete discípulos que pescavam no mar da Galiléia (Jo 21: 4 e seguintes);

8 - Sobre um monte na Galiléia, onde se presume seja o local que contou com a presença de mais de quinhentos irmãos (Mt 28: 16-20; I Corintios, 15:6);

9 - Apareceu a Tiago, mas não se sabe quando nem em que lugar (I Coríntios, 15:7);

10 - Na chamada ascensão, quando Jesus levou os discípulos de volta a Betânia e os abençoou despedindo-se deles (At 1: 6-10 e Lc 24: 50-52). Possivelmente Jesus apareceu muitas outras vezes durante esses quarenta dias.

REENCARNAÇÃO:

Reencarnação, conforme a própria palavra indica, significa retomar, readquirir a carne novamente; tem um sentido bem mais preciso e diferente de "ressurreição". A reencarnação significa a volta à vida corpórea, mas em um outro corpo, sem qualquer espécie de ligação com o anterior. Não há necessidade de a alma retomar o seu antigo corpo, uma vez que o Espírito tem sempre diante de si a oportunidade de adquirir novo organismo físico, sem afrontar as leis naturais, reencarnando tantas vezes quantas forem necessárias ao seu aperfeiçoamento espiritual.

Em Mateus 17:10 a 13 e Marcos 9:11 a 13, faz-se alusão ao fato de que João Batista era Elias: "E os discípulos lhe perguntaram dizendo: pois por que dizem os escribas que importa vir Elias primeiro? Mas ele, respondendo-lhes disse: - Elias certamente há de vir, e restabelecerá todas as coisas; digo-vos, porém, que Elias já veio, e eles não o conheceram, antes fizeram com ele quanto quiseram. Assim também o Filho do homem há de padecer às suas mãos. Então conheceram os discípulos que de João Batista é que ele lhes falara (Mateus, 17:10-13). Não há melhor testemunho sobre a reencarnação do que esta narração evangélica, porque se ela aconteceu com Elias, acontece com todos os Espíritos.

Em diálogo com Nicodemos, Jesus afirmou: “Em verdade, em verdade vos digo: Ninguém pode ver o reino de Deus se não nascer de novo” (João 3:3). Nicodemos lhe disse: - Como pode nascer um homem que já está velho? Pode ele entrar no ventre de sua mãe, para nascer uma segunda vez? Jesus lhe respondeu: -“Em verdade, em verdade vos digo: Se um homem não renascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus”. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é Espírito. Não vos espanteis do que eu vos disse; que é preciso que nasçais de novo (ESE, Cap. IV, item 5 a 8).

A água entre os judeus, e mesmo entre os povos antigos, era um elemento primordial da matéria, pois acreditavam que tudo que havia na Terra havia saído das águas. Segundo essa crença, a água tornar-se o símbolo da natureza material, como o Espírito era o da natureza inteligente. Estas palavras: "Se o homem não renasce da água e do Espírito, ou em água e em Espírito", significam, pois: "Se o homem não renasce com o corpo e a alma". Neste sentido é que foram compreendidas no princípio (ESE, Cap. IV, item 8). Isto porque é pelos renascimentos sucessivos que o Espírito evolui. Uma única existência jamais poderia ser suficiente para o aprimoramento que o Espírito deve colimar, a fim de ascender aos planos mais elevados da Espiritualidade.

BIBLIOGRAFIA: ESE - CAP. IV - ÍTENS 4 A 17; L.E. - PERGUNTA: 1010.

QUESTIONÁRIO:

C - RESSURREIÇÃO E REENCARNAÇÃO:

1 - Qual a diferença entre ressurreição e reencarnação?

2 - Descreva alguma passagem evangélica que se refira às aparições de Jesus.

3 - "Se um homem não renascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus". Interprete.


Fonte da imagem: Internet Google.

Nenhum comentário:

Postar um comentário