CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DO ESPÍRITA: PACIÊNCIA, INDULGENCIA, FÉ, HUMILDADE, DIGNIDADE E CARIDADE.

sexta-feira, 23 de maio de 2014

11ª AULA - CURSO BÁSICO DE ESPIRITISMO 1º ANO - FEESP

PARTE C: OS LAÇOS DE FAMÍLIA SÃO FORTALECIDOS PELA REENCARNAÇÃO E QUEBRADOS PELA UNICIDADE DA EXISTÊNCIA

A reencarnação possibilita melhor integração entre os membros de uma família, pois aqueles que se amam procuram estreitar cada vez mais os laços afetivos, pedindo a Deus para reencarnarem sempre nos mesmos círculos familiares.

Ocorre frequentemente que em uma família encarnam Espíritos que não se afinam com os demais, demonstrando tendências diversas, parecendo, pelas suas inclinações e gostos, que nada têm em comum com seus parentes. As encarnações de Espíritos que são estranhos no seio das famílias têm a dupla finalidade de servirem de prova para uns e meio de progresso para outros. Os menos evoluídos melhoram pouco a pouco ao contato direto com os bons e pelas atenções que deles recebem; geralmente seu caráter se abranda, seus costumes se aperfeiçoam e as antipatias desaparecem.

Os Espíritos constituem, no mundo espiritual, verdadeiras famílias unidas pela afeição, pela semelhança de inclinações e pela atração mútua. Sentindo-se felizes por estarem juntos, eles procuram sempre maior entrelaçamento afetivo em todos.

A encarnação só os separa momentaneamente, porque retornando à erraticidade se reencontram, assim como sucede com amigos quando retornam de uma longa viagem. Muitas vezes também reencarnam juntos numa mesma família consanguínea ou num mesmo círculo familiar, para assim palmilharem juntos, o roteiro evolutivo.

Os laços afetivos ocorrem entre Espíritos que nutrem verdadeira afeição mútua, a única que sobrevive à destruição do corpo.

Quando a união no mundo corpóreo teve apenas por objetivo a satisfação dos sentidos, não há qualquer motivo para se procurarem na espiritualidade, enquanto que as afeições espirituais são permanentes. Deste modo, as afeições carnais extinguem-se com as causas que as provocaram, que deixam de existir no mundo espiritual.

A teoria da unidade da vida exclui, necessariamente, a preexistência da alma, que seria criada ao mesmo tempo que o corpo, sem qualquer ligação anterior. Todos os membros de uma família seriam estranhos entre si, sem nenhuma ligação espiritual. Após a desencarnação, considerando-se esta teoria, a sorte do Espírito estaria definitivamente selada, com a consequente anulação de todo progresso conquistado; são, assim, imediatamente separadas para sempre, sem esperança de jamais se aproximarem, (as almas) de tal sorte que pais, mães e filhos, maridos e mulheres, irmãos, amigos, não estão jamais certos, de se reverem; é a ruptura mais absoluta dos laços de família.

Pela reencarnação e pelo progresso que lhe é consequente, todos os que se amam se encontram no mundo físico e no mundo espiritual, caminhando juntos rumo à perfeição espiritual. Se alguns fracassam ou retardam o seu progresso, nem por isso as esperanças estão perdidas, uma vez que serão sempre amparados pelos que os amam, para retornarem à senda evolutiva, havendo, portanto perpétua solidariedade entre Espíritos encarnados e desencarnados.

QUESTIONÁRIO:

C - OS LAÇOS DE FAMÍLIA SÃO FORTALECIDOS PELA REENCARNAÇÃO E QUEBRADOS PELA UNICIDADE DAS EXISTÊNCIAS

1 - Em que sentido os Espíritos formam uma família no mundo espiritual?

2 - Ocorre, frequentemente, que em determinada família encarnem Espíritos que não se afinam com os demais membros da família: Por quê?

3 - A teoria da unicidade da existência exclui a preexistência da alma: Explique.


Fonte da imagem: Internet Google.

Nenhum comentário:

Postar um comentário