CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DO ESPÍRITA: PACIÊNCIA, INDULGENCIA, FÉ, HUMILDADE, DIGNIDADE E CARIDADE.

quarta-feira, 30 de abril de 2014

8ª AULA - CURSO BASICO DE ESPIRITISMO 1º ANO - FEESP

PARTE B: PROGRESSÃO DOS ESPÍRITOS - ANJOS E DEMÔNIOS

PROGRESSÃO DOS ESPÍRITOS: Ao analisar a progressão dos Espíritos, deve-se levar em conta as seguintes considerações:

A - Espírito e matéria estão sempre associados, pois qualquer que seja o grau em que se encontre, o Espírito está sempre revestido de um envoltório ou perispírito, cuja natureza se eteriza à medida que ele se depura e se eleva na hierarquia espiritual (LM, item 55).

B - Em sua escalada progressiva para atingir a perfectibilidade, o Espírito deve lutar para que sua natureza espiritual domine sua natureza material, trabalhando os seguintes aspectos:

1 - Desenvolvendo a sua inteligência e adquirindo os conhecimentos que o levarão à verdade, passando pelas provas que Deus lhe impõe;

2 - Despojando-se de influências da matéria, como por exemplo, as sensações dos órgãos, à qual está ligado necessariamente para sua manifestação como Espírito;

3 - Libertando-se dos males como o egoísmo, orgulho, a maldade, etc.. E conquistando as virtudes como a caridade, a humildade, etc...

C - Os Espíritos foram criados iguais, simples e ignorantes, porém todos atingirão a perfectibilidade. Uns chegam mais rapidamente que outros, pois isso depende do livre-arbítrio de cada um, conforme agem dentro da Lei de Causa e Efeito, como diz André Luiz, em Evolução em Dois Mundos, cap. XII: “Encetando, pois, a sua iniciação no plano espiritual, de consciência desperta e responsável, o homem começa a penetrar na essência da Lei de Causa e Efeito, encontrando em si mesmo os resultados enobrecedores ou deprimentes das próprias ações”.

A partir destas considerações, chega-se às seguintes conclusões:

a) Não há penas eternas. Os Espíritos não permanecem perpetuamente nas classes inferiores.

Depende de cada um apressar ou não o seu avanço. Quaisquer que sejam a inferioridade e perversidade dos Espíritos, Deus jamais os abandona. Todos têm seu anjo da guarda (Espírito Protetor) que por eles vela. Contudo, o Espírito deve progredir por impulso da própria vontade, nunca por sujeição (O Céu e o Inferno, 1ª. parte, Cap. VII, Código Penal da Vida Futura, item 20).

b) O Espírito pode permanecer estacionário, mas não retrógrada, uma vez que o conhecimento adquirido não mais se perde. Uma vez encarnado pode estar em condição social inferior à sua vida passada, porém nada perde do que adquiriu moral e intelectualmente. Seu desenvolvimento moral e intelectual, como Espírito, é o mesmo (Gênese, cap. XI, nº. 48).

c) Deus não libera os Espíritos das provas que devem sofrer para chegarem à Primeira Ordem, pois se o fizesse, teria de criá-los perfeitos e, como tal, eles não teriam merecimento para usufruir dos benefícios da perfectibilidade conquistada. Os Espíritos não precisam necessariamente passar pela fieira do mal para chegarem ao bem, mas sim pelo caminho da ignorância. Todos têm o livre-arbítrio para escolher entre um e outro caminho, mas é justamente pelo uso correto que fazem de sua escolha é que conquistam o mérito para chegar à Primeira Ordem. O livre-arbítrio se desenvolve à medida que o Espírito adquire consciência de si mesmo. Não haveria liberdade se a escolha não dependesse da vontade e decisão do Espírito em ceder a esta ou àquela influência, boa ou má.

ANJOS e DEMÔNIOS

ANJOS: "Os seres que chamamos anjos, arcanjos, serafins, formam uma categoria especial, de natureza diferente da dos outros Espíritos?" - “Não; são Espíritos puros: Estão no mais alto grau da escala e reúnem em si todas as perfeições” (LE, perg. 128).

Deste modo, os anjos não são uma criação especial de Deus, mas Espíritos que conseguiram superar as imperfeições próprias da condição humana; são Espíritos puros e, como tal, pertencem à Primeira Ordem, segundo a escala de valores estabelecida pela Doutrina dos Espíritos. Tornam-se mensageiros de Deus, mantendo sob suas ordens Espíritos em diferentes graus de evolução, e manifestam seu amor ora participando da criação de novos mundos em formação, ora trazendo revelações divinas para a evolução da humanidade.

DEMÔNIOS: "Há demônios, no sentido que se dá a essa palavra?" - Se houvesse demônios, eles seriam obra de Deus. E Deus seria justo e bom, criando seres infelizes, eternamente voltados ao mal?" (LE, perg. 131). Demônios são, portanto, os Espíritos ainda imperfeitos, transitoriamente desviados do bem e que se comprazem no mal alheio. Pela sua índole imperfeita, estabelecem domínio sobre outros Espíritos, encarnados ou desencarnados.

Pertencem à Terceira Ordem da escala Espírita por se rebelarem contra as provas que lhes tocam e que por isso as sofrem mais longamente. Como o ser humano sempre necessitou de figuras e imagens para firmar-se, idealizou os seres incorpóreos sob forma material, com atributos que lembram as qualidades ou defeitos humanos. Assim, surgiram as formas de anjos para personificar a espiritualidade sublimada e as formas dos demônios para personificar seus atributos ainda da animalidade.

Contudo, a Doutrina Espírita esclarece que as penas não são eternas; o prazo de expiação para os Espíritos imperfeitos está subordinado à sua vontade de melhorar para ascender à categoria de Espíritos puros. Deus não privilegia mais a uns do que a outros, pois é soberanamente justo e bom. Tudo o que acontece de acordo com os preceitos das suas leis divinas se constitui no bem e tudo que lhes for contrário, se constitui no mal. Cedo ou tarde, demônios ou Espíritos imperfeitos ascenderão à categoria de anjos ou Espíritos puros, pois esta é a lei que rege o universo: a evolução do Espírito.

QUESTIONÁRIO:

B - PROGRESSÃO DOS ESPÍRITOS - ANJOS E DEMÔNIOS

1 - O que são anjos e demônios?

2 - Existem penas eternas? Explique.

3 - O Espírito terá que necessariamente passar pelo caminho do mal? Desenvolva.


Fonte da imagem: Internet Google.

Nenhum comentário:

Postar um comentário