CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DO ESPÍRITA: PACIÊNCIA, INDULGENCIA, FÉ, HUMILDADE, DIGNIDADE E CARIDADE.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

17ª AULA - CURSO PREPARATÓRIO DE ESPIRITISMO - FEESP

PARTE A: OS FLUIDOS

“Na natureza parece que se encontra uma substância sutilíssima, tenuíssima e volicísssima que, depreendendo-se pelo universo, penetra por toda a parte sem oposição, aquece, vivifica e torna fecunda todas as criaturas vivas”.

Esse é um trecho da carta que Galileu Galilei (1564/1642) escreveu ao monsenhor Piero Dini em 23 de março de 1615, referindo-se ao fluido universal.

Galileu, nome que lembra Jesus, o sublime Galileu. O Galileu Galilei de que falamos, nasceu em Pisa e foi um gênio que estudou leis físicas, construiu o termômetro e o telescópio; astrônomo adotou a tese de Copérnico, do Heliocentrismo, o que lhe valeu um processo inquisitório em Roma, e, para não ser condenado, renega sua proposição. Após três séculos de equívocos, em 31 de outubro de 1992, o Vaticano pretendendo reabilitar Galileu, reabilita-se.

Século depois, em 1862 e 1863, o Espírito Galileu Galilei comunica-se pela psicografia de Camile Flammarion e temos o capítulo VI, de A Gênese, que trata da “Uranografia” (descrição do céu), dando-nos a magnífica concepção da Gênese dos Mundos, com a visão do Espírito, já liberto do corpo carnal.

Fluido Universal

Sabemos hoje, existir um fluido etéreo que enche o espaço e penetra os corpos – fluido gerador de mundos e de seres, que é a matéria cósmica primitiva. O FLUIDO UNIVERSAL é uma criação da divindade e o princípio elementar de todas as coisas.

O fluido cósmico (ou fluido universal), sendo matéria elementar básica, primitiva, suas transformações e modificações constituem a inumerável variedade de corpos da natureza.

Essas transformações e modificações do princípio elementar do universo assumem estados que variam desde o estado fluídico ou etéreo (no plano espiritual), até a condensação ou materialização (no plano físico).

Princípio Vital

Vimos, que “esse fluido penetra os corpos, como um oceano imenso”. É nele que reside o princípio vital que dá origem à vida dos seres e a perpetua em cada globo, conforme a condição deste princípio que, em estado latente, se conserva adormecido, onde a voz de um ser não o chama. (GE., Cap. VI, ítem 18).

Assim, é exato dizer-se que, “Deus há criado sempre, cria  incessantemente e nunca deixará de criar”.

Ação dos Espíritos sobre os fluidos

Os Espíritos, por meio do pensamento e da vontade, agem sobre os fluidos determinando esta ou aquela direção, combinação ou dispersão. Atuando sobre os fluidos, dão-lhe formas, cores, mudam suas propriedades químicas, etc... Produzem, assim, aparências, roupas, objetos que desejam.

Com a desencarnação, o Espírito que continuar com o seu pensamento concentrado na vida material que tivera, sente-se ainda “vivo”, criando para si um ambiente fluídico denso, fazendo-o sofrer; daí a necessidade da renovação constante pelo estudo e prática do Bem.

Qualidade dos Fluidos – Efeitos

Agindo os Espíritos sobre os “fluidos espirituais” (matéria quintessenciada), suas consequências sobre os encarnados são diversas, podendo estar impregnadas de qualidades boas ou más, que podem ser modificadas em função da pureza ou impureza de seus sentimentos. Os maus pensamentos corrompem os fluidos espirituais, como os miasmas deletérios corrompem o ar respirável.

Se estivermos em uma reunião onde as pessoas procuram emitir bons sentimentos, os seus pensamentos purificados formam uma corrente fluídica benéfica. Se os pensamentos forem fúteis ou vulgares do ponto de vista moral, as emanações fluídicas serão de baixo teor.

Do ponto de vista físico, esses fluídos podem ser, entre outros: excitantes ou calmantes, irritantes ou dulcificantes, repulsivos ou reparadores, trazendo, do ponto de vista moral, expressões de ódio, ciúme, orgulho, egoísmo; ou ainda, de bondade, caridade, benevolência, amor.

Perispírito – Ação dos Fluidos

O Perispírito é um dos produtos mais importantes do Fluido Universal.

O Espírito extrai o seu envoltório semi-material do fluido ambiente do planeta em que vai habitar. Daí resulta que esses elementos devem variar segundo os mundos e o adiantamento moral do Espírito reencarnante. (GE. Cap. XIV, itens 7 e 8).

Foi chamado corpo fluídico ou corpo espiritual por Paulo de Tarso, de mediador plástico por Emmanuel, e recebeu muitos outros nomes; Kardec o chamou de Perispírito.

Serve de ligação entre a Alma e o corpo; é o intermediário, que transmite ao Espírito as sensações recolhidas pelo corpo físico; e é por ele que o Espírito manifesta a sua vontade ao exterior.

Atuando sobre os órgãos da matéria, o Perispírito é o órgão sensitivo do Espírito. (GE. Cap. XIV, item 22).

O Espírito nunca se desliga do seu Perispírito, mas a natureza deste se eteriza, na razão de sua elevação moral.

BIBLIOGRAFIA:

Kardec, Allan - A Gênese

QUESTIONÁRIO:

1 - Que é fluído universal?

2 - Que é princípio vital?

3 - Como agem os Espíritos sobre os fluídos?

Nenhum comentário:

Postar um comentário