CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DO ESPÍRITA: PACIÊNCIA, INDULGENCIA, FÉ, HUMILDADE, DIGNIDADE E CARIDADE.

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

21ª AULA - CURSO BÁSICO DE ESPIRITISMO 1º ANO - FEESP

PARTE A: AFEIÇÃO DOS ESPÍRITOS POR CERTAS PESSOAS - ANJOS DA GUARDA - ESPÍRITOS PROTETORES, FAMILIARES E SIMPÁTICOS.

INTERVENÇÃO DOS ESPÍRITOS NO MUNDO CORPÓREO

AFEIÇÃO DOS ESPÍRITOS POR CERTAS PESSOAS: Os Espíritos geralmente possuem afeição por determinadas pessoas. Os bons Espíritos simpatizam com os homens de bem ou suscetíveis de progredir; os Espíritos inferiores, com o homens viciosos ou que podem viciar-se; daí o seu apego, resultante da semelhança de sensações (LE, perg. 484).

Os bons Espíritos interessam-se pelos infortúnios dos homens e afligem-se pelo mal que estes experimentam. Geralmente compadecem-se de nossos sofrimentos tal como nos padecemos dos sofrimentos de um amigo, e reerguem nossa coragem. Entre esses Espíritos temos os anjos da guarda, Espíritos protetores, familiares e simpáticos.

ANJOS DA GUARDA - ESPÍRITOS PROTETORES: Em todos os tempos, os seres humanos pressentiram a permanente atuação desses Espíritos - os anjos da guarda, que então eram considerados supranormais, até que com o advento da Doutrina Espírita, tudo ficou esclarecido. Não se trata de seres à parte da criação, mas de entidades que assumem, como missão, o compromisso de nos assistir e velar por nós na existência terrena, aconselhando-nos sem afetar o nosso livre-arbítrio, guiando assim nossos passos. Eles sentem-se satisfeitos quando acatamos suas sugestões e repelimos o mal, e ficam sentidos quando preferimos dar guarida às sugestões de Espíritos inferiores.

Anjo da guarda, segundo a Doutrina Espírita, é o Espírito protetor de uma ordem elevada (LE, perg. 490), a missão do Espírito Protetor corresponde a de um pai para com os filhos: conduzir o seu protegido pelo bom caminho, ajudá-lo com os seus conselhos, consolá-lo nas suas aflições, sustentar sua coragem nas provas da vida (LE, 491).

ESPÍRITOS FAMILIARES: Alguns Espíritos ligam-se a uma determinada família, cujos membros estão unidos pela afeição, passando então a ser Espíritos familiares. Eles têm afeição e se unem a essas pessoas por laços mais ou menos duráveis, com o fim de lhes serem úteis, dentro de suas limitações, são bons, porém, por vezes, pouco adiantados e só atuam por ordem ou permissão dos Espíritos Protetores.

ESPÍRITOS SIMPÁTICOS: São aqueles que se sentem atraídos para o nosso lado por afeições particulares e ainda por uma certa similitude de gostos e sentimentos, tanto para o bem como para o mal. De um modo geral, a duração de suas relações é quase sempre subordinada às circunstâncias, pela lei de sintonia vibratória ou pelas afinidades, eles continuam ligados àqueles que se fizeram credores de simpatias especiais. Tanto os Espíritos familiares como os simpáticos, ao longo das reencarnações criaram laços indissolúveis que os ligam de forma duradoura.

Os Espíritos, mesmo quando encarnados, sentem-se atraídos pela simpatia, independentemente dos laços consanguíneos, após se desvencilharem do corpo físico e voltados aos verdadeiros valores espirituais, estreitam ainda mais esses elos.

Todos os indivíduos deveriam procurar sentir a amiga e respeitável presença dos Espíritos Protetores, sem com isso desrespeitar o limite que existe entre eles, pois não lhes é permitido interferir nas atividades e decisões dos homens. A ação dos Espíritos que vos querem bem é sempre regulada de maneira a vos deixar o livre-arbítrio, porque se não tivésseis responsabilidade não vos adiantaríeis na senda que vos deve conduzir a Deus (LE, perg. 501).

A interferência dos Espíritos nas dificuldades faria com que os indivíduos perdessem o fruto da experiência, que só adquirem quando aprendem a equacionar os problemas que surgem aos seus olhos, no âmbito do bem, após árdua luta. Mesmo em suas quedas, os Espíritos procuram levantá-los, não os deixando à mercê das dúvidas e inquietações. Induzem-nos ao roteiro da fé, para que tenham bom ânimo, para prosseguirem em sua jornada no caminho evolutivo, outorgando-lhes assim o mérito de depurar suas próprias dores.

QUESTIONÁRIO:

A - AFEIÇÃO DOS ESPÍRITOS POR CERTAS PESSOAS - ANJOS DA GUARDA - ESPÍRITOS PROTETORES - FAMILIARES E SIMPÁTICOS

1 - O que são anjos da guarda, segundo a Doutrina Espírita?

2 - O que se entende por Espíritos protetores, familiares e simpáticos?

3 - Os Espíritos protetores podem interferir em nosso livre-arbítrio? Desenvolva.


Fonte da imagem: Internet Google.

Nenhum comentário:

Postar um comentário