CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DO ESPÍRITA: PACIÊNCIA, INDULGENCIA, FÉ, HUMILDADE, DIGNIDADE E CARIDADE.

terça-feira, 19 de novembro de 2013

20ª AULA - CURSO PREPARATÓRIO DE ESPIRITISMO - FEESP

PARTE A: O ESPIRITISMO COMO CONSOLADOR PROMETIDO

Próximo de partir para a Espiritualidade, Jesus promete aos seus discípulos que lhes enviará um outro Consolador, o Espírito da Verdade, o Parácleto, que haveria de ensinar todas as coisas e lembrar o que ele dissera (Jô, 14:15-17 e 26; 16:7-14). No tempo determinado, o Espiritismo veio cumprir aquela promessa do Divino Mestre, revelando ao homem as leis que regem os fenômenos, antes tidos como sobrenaturais ou milagrosos.

O Espiritismo, ou o Consolador Prometido, surge no horizonte terrestre, em meados do séc. XIX, como a Terceira Revelação. No século XIII ª C., Moisés trouxe para a Humanidade a Primeira Revelação, materializando a ideia do Deus Único (já ensinada por Abrão, o grande patriarca hebreu, cerca de 600 anos antes). Moisés promulgou a lei do Monte Sinai, lançando os fundamentos da verdadeira fé, como grande médium que era. Como homem, foi o legislador eficiente, que organizou a sociedade da época, procurando livrá-la dos erros do politeísmo.

Após Moisés, veio o Cristo, encarnando a Segunda Revelação, e acrescentou à essência dos ensinamentos mosaicos a ideia da vida futura, estranha ao contexto do Pentateuco, bem como as penas e recompensas que esperam o homem depois da morte. Jesus faz encarar a divindade de um ponto de vista totalmente novo: “não é mais o Deus que quer ser temido, mas o Deus que quer ser amado”. (A Gênese, Cap. I, item 23) Jesus, então, resume o Decálogo num mandamento maior – o amor a Deus, acima de todas as coisas – e num menor, semelhante àquele – o amor ao próximo – e estabelece assim as bases da Religião Cósmica (Universal).

A Doutrina dos Espíritos, como Terceira Revelação, é o Cristianismo Redivivo. A revelação espírita possui um duplo caráter, visto que participa, ao mesmo tempo, da revelação divina e da revelação científica, as duas vias que levam o homem ao verdadeiro conhecimento. Nas palavras de Kardec, “o que caracteriza a revelação espírita é que sua origem é divina, que a iniciativa pertence aos Espíritos e que sua elaboração é o resultado do trabalho do homem”.

O Espiritismo, então, parte das próprias palavras de Cristo (da mesma forma que este muitas vezes remeteu seus discípulos às palavras de Moisés), sendo uma consequência direta de sua doutrina.

À ideia vaga da vida futura, acrescenta a revelação da existência do mundo invisível que nos cerca e povoa o espaço. Define os laços que unem o espírito ao corpo.

Fundamenta-se no princípio da reencarnação. E estabelece as consequências morais da conduta humana frente às leis divinas.

O Espiritismo, assim, como uma doutrina de conhecimento, chega no momento em que a Humanidade está melhor preparada e a Ciência encontra-se organizada e pronta para dar sustentação ao fenômeno espírita, que, sem ela, ficaria sem apoio e exame. Se tivesse surgido antes das descobertas científicas dos séculos XVII e XVIII, a ação da Espiritualidade fatalmente estaria condenada ao fracasso.

A Doutrina Consoladora mostra ao homem que a causa dos seus sofrimentos, muitas vezes, está em existências anteriores; que a Terra, no seu atual estágio, é um mundo de expiação e provas; que Deus, soberanamente justo e bom, a ninguém castiga, de sorte que as aflições vividas pela criatura humana conduzem à cura dos seus males, assegurando-lhe a felicidade nas existências futuras.

O Espiritismo, por isso, no seu tríplice aspecto (de Ciência, Filosofia e Religião), responde aos mais diversos questionamentos humanos, fazendo o homem compreender de onde vem, para onde vai e o que está fazendo na Terra; enfim, desvela lhe sua natureza, sua origem e sua destinação, preparando-o para viver melhor suas próximas encarnações.

Finalmente, revela o conceito mais avançado de Deus: Inteligência Suprema e causa primária de todas as coisas. Esclarece que não podemos conhecer a natureza íntima do Criador, mas aponta alguns de seus atributos, que nos mostram sua justiça e sua bondade, presentes em toda a Criação.

BIBLIOGRAFIA:

Kardec, Allan - A Gênese.

QUESTIONÁRIO:

1 - Sinteticamente, quais são as três grandes revelações?

2 - Por que o Espiritismo é o Consolador Prometido?

3 - O que caracteriza a revelação espírita?

Nenhum comentário:

Postar um comentário